impressora 3D de comida

Conheça a impressora 3D de comida

Designer de alimentos holandesa desenvolveu uma impressora 3D de comida nutritiva e intrigante ao mesmo tempo.

O uso da impressora 3D para produção de alimentos vêm sendo testados em diversos projetos diferentes nos últimos anos.

Em 2014, a NASA que é a Agência Espacial Americana, publicou pesquisas com impressoras 3D capaz de imprimir por exemplo pizzas.

O surgimento dessa tecnologia é fruto do intuito de ampliar a oferta de alimentos no mundo, com menos impacto no uso de recursos naturais.

Essa ideia surgiu porque uma comida mais elaborada passa a ser feita sobre demandas pessoais, sem os desperdícios que estão inclusos no processo industrial.

Entretanto, a maior parte das iniciativas até então trazem impressoras capazes de produzir apenas alimentos calóricos.

Que contém baixa quantidade de nutrientes, como as pizzas que a NASA produziu ou até mesmo alguns tipos de doce.

Por conta dessa dificuldade, uma designer de alimentos holandesa chamada: Chloé Rutzerveld.

Fez alguns testes para que conseguisse criar algo mais saudável em uma impressora de alimentos 3D.

Como funciona a impressora 3D de comida?

A impressora 3D de alimentos é simplesmente a maneira como decidiu se chamar esta espécie de robô, capaz de empilhar camadas diferentes de substâncias que são comestíveis.

Em diferentes quantidades e disposição, de acordo com o código de programação que foi especificado aí ele previamente.

Utilizando a tecnologia já disponível hoje, designer holandesa desenhou uma espécie de snack com sementes de brotos e esporos de fungos.

Eles ficam inseridos dentro da massa, em um substrato nutritivo e também comestível.

A designer chamou o alimento de: Edible Growth, algo que em português seria como “crescimento comestível”.

Cinco dias depois de ser impresso pela máquina, os brotos e os cogumelos começam a crescer e surgem entre os bancos da massa.

Outra classe de fungos cresce e cria preenchimento dentro da massa.

De acordo com o que foi dito, este seria o momento ideal para consumir o alimento.

Porém, a Designer deixa claro que o alimento é considerado comestível desde o momento em que foi impresso.

A comida do futuro

O alimento que foi desenhado pela designer, é um protótipo do que a comida poderá ser no futuro.

Não se trata da solução para a fome no mundo.

Mas aponta saídas possíveis para a produção individual e em grande escala de alimentos que seriam nutritivos.

Abaixo, está uma lista que contém todos os benefícios que o impacto da comida impressa poderia causar na nossa sociedade assim que se populariza-se:

  • Menos uso de recursos naturais;
  • Diminuição do desperdício de alimentos que ocorrem no processo industrial;
  • Menos poluição;
  • Alimentação instantânea mais saudável.

Por hora, a impressora 3D de comida é apenas um projeto que se encontra em teste, mas, futuramente ela pode vir a revolucionar a indústria alimentícia mundial.

Agora, é só esperar até que futuramente ela esteja no mercado a disposição do consumidor.

Essa foi a novidade que eu tinha para apresentar a vocês, espero que tenha gostado de conhecê-la.

Aproveite esta e muitas outras dicas que se encontram aqui no nosso Blog à sua disposição.

 

Comentários
Whatsapp