Aguaboa - A Verdadeira Fonte Águas de Santa Bárbara

Atleta Aguaboa – Rafael dos Anjos, vence mais uma no UFC

Atleta Aguaboa – Rafael dos Anjos, vence mais uma no UFC e dá um passo gigantesco na caminhada para tentar ser campeão em uma segunda categoria. Neste sábado (16), o brasileiro enfrentou o ex-dono do cinturão dos meio-médios Robbie Lawler e passou pelo teste mais difícil que teve no novo peso, com vitória por decisão.

Ex-campeão dos leves no UFC, Dos Anjos tinha duas vitórias seguidas desde que estreou entre os meio-médios e embalou a terceira justo contra um ex-detentor do título, que já parece cada vez mais perto do brasileiro. O dono do cinturão do UFC é Tyron Woodley, que não tem luta marcada.

A situação do Atleta Aguaboa – Rafael dos Anjos, fica ainda melhor pelo fato de a vitória ter vindo contra o número 2 da categoria no ranking oficial, enquanto o primeiro colocado da lista, Stephen Thompson, já teve duas chances de lutar pelo título contra Woodley – um empate e uma derrota.

O desempenho neste sábado também foi convincente. O brasileiro, até então quarto colocado no ranking do UFC, foi superior em todos os rounds contra Lawler, chegando, inclusive, a ficar perto do nocaute em diversos momentos, apesar das dificuldades impostas pelo rival.

A Luta

Atleta Aguaboa – Rafael dos Anjos começou respeitando o poder de Lawler, mas logo passou a andar para frente e apostar em chutes baixos. Lawler tratou de mostrar que o brasileiro deveria respeitá-lo e soltou duros cruzados, que acertaram seu rosto de forma perigosa. Rafael não se intimidou e, apesar de mais cauteloso, seguiu golpeando. Seu chute baixo na perna da frente mostrava bastante eficiência – ele o usaria por toda a luta para minar a base do adversário. Quando Lawler tentava encurralar na grade com cruzados, Rafael agarrava seu pescoço num clinche do muay thai. Num deles, acertou boa sequência de joelhadas no corpo. Em outra, o clinche foi mais uma tática de defesa para os duros cruzados do americano, e os dois trocaram joelhadas.

Lawler entrou no segundo round para definir a luta rapidamente. Ele andou para frente e, com o brasileiro encurralado na grade, soltou duros cruzados. Rafael, no entanto, mostrou boa defesa e acertou também um duro overhand. Ele buscou o clinche novamente, mas, desta vez, o americano estava ligado e rechaçou a tentativa. Rafael passou a apostar nos jabs, e a combinar golpes em cima e em baixo. Um cruzado de esquerda machucou Lawler, que passou a andar pra trás. Rafael soltou uma joelhada voadora, que pegou no peito, e jogou tudo numa longa sequência, combinando golpes no corpo e na cabeça. Lawler, no entanto, se cobriu todo e mostrou queixo duro. Rafael eventualmente se cansou, e parou para agarrar e recuperar o fôlego. O americano aos poucos se recuperou e tentou equilibrar o round, mas o brasileiro voltou a mostrar boa defesa com o clinche.

Lawler voltou a andar para frente e tentar encurralar Rafael no início do terceiro round. O brasileiro contra golpeou bem, mudou de nível e derrubou o americano com um double leg. Lawler caiu sentado, e Rafael não conseguiu colocar suas costas no solo. O americano se levantou, mas teve dificuldades para se desvencilhar do clinche. Rafael acertava duras joelhadas na linha de cintura, e Lawler apostava em ganchos curtos no corpo. Ele também acertou um upper por dentro. Lawler enfim se soltou com um minuto restando no round, mas se desequilibrou com um empurrão do brasileiro e caiu para trás. Rafael aproveitou e foi para cima, fazendo peso sobre o adversário. Em vantagem na meia-guarda, o carioca conectou duras cotoveladas na cabeça, e ainda ameaçou laçar seu pescoço antes do fim do assalto.

Atrás na pontuação, Lawler seguiu tomando a iniciativa, mas desta vez mais cauteloso, medindo a distância com o jab. Rafael acertou uma dura canelada na linha de cintura, esquivou bem alguns golpes, investiu na defesa pelo clinche. Confiante na trocação, o brasileiro passou a andar para frente, acertou um bom direto de esquerda, botou o americano com as costas na tela, combinou golpes na linha de cintura e na cabeça, e voltou ao clinche. Ele acertou joelhada no corpo, cotovelada e se desvencilhou. Lawler respondeu com um duro cruzado de esquerda, mas parecia mais cansado que o brasileiro. Rafael voltou a andar para frente, e, apesar de pedidos dos treinadores para golpear o corpo, apostou nos jabs e diretos, além de duras cotoveladas. O minuto final foi um show do ex-campeão dos leves: chute alto, joelhada voadora, além de movimentação de cabeça que frustrava o adversário.

Lawler tentou andar para frente no último round, mas, com a perna direita muito machucada pelos chutes baixos, o americano cambaleou ao tentar se movimentar. Rafael foi para cima, acertou duros cruzados e passou à queda. Lawler ficou sentado, esboçou encaixar uma guilhotina, mas era apenas tática para travar a luta para que o árbitro Harb Dean mandasse os dois se levantarem, o que aconteceu rapidamente. Rafael logo voltou a pressionar o americano contra a grade, e combinou jabs e diretos com cotoveladas e joelhadas no clinche. Lawler ainda era perigoso com uppers e cruzados de esquerda, mas Rafael era senhor do combate. Seguia movimentando bem a cabeça e escondendo o queixo. No minuto final, ele voltou a jogar uma joelhada voadora para se aproximar e agarrar um clinche, o qual não soltou até o final. Nele, ainda conectou joelhadas no corpo e cotoveladas no queixo. Nos últimos segundos, jogou uma cotovelada rodada, recuou e só esperou. Derrotado, o ex-campeão peso-meio-médio do UFC, apenas balançou a cabeça, decepcionado com o próprio desempenho, e reconheceu a vitória de Rafael dos Anjos.

Parabéns Rafa!!! Toda a família Aguaboa lhe agradece pelo carinho e o parabeniza pelo exímio profissional que és.

Aguaboa, a sua Água Mineral.

 

Comentários
Whatsapp